NA CÂMARA DE LAJEADO A GESTÃO CARLOS RANZI ESTA SEMPRE INVENTANDO.

carlosO vereador Carlos Ranzi desde que assumiu a presidência da Câmara de vereadores de Lajeado esta   sempre inventando ou seja inovando , não são raros as modificações que ocorreram após a sua chegada a presidência da casa, deste a posição dos acentos dos edis a determinação de abertura de concurso  público para preenchimento  de cargos no legislativo, a possível instalação  de ponto eletrônico e muitos outros.  Carlos Ranzi é um vereador de primeira legislatura, no entanto sabe o porque  e para que ingressou na política em 2012.

Passados quatro meses  de 2015 restam ainda oito meses no comando do legislativo, no entanto o  regimento interno da Câmara de vereadores não permite a reeleição do presidente,  o tempo acaba se tornando curto para pôr em pratica modificações estruturais com um maior impacto no aspecto  administrativo e político.

O atual presidente do legislativo lajeadense possui preparo, capacidade e credibilidade  para pôr em pratica estas inovações , entre elas estão dois projetos que a anos estão engavetados. O primeiro seria a independência administrativa e financeira do legislativo, principalmente com a criação de uma estrutura contábil própria, juntamente com a criação do setor de compras e licitações e  o setor de recursos humanos totalmente exclusivo da Câmara.

O segundo projeto consisti na construção da sede própria do legislativo que a  duas décadas  vem se arrastando, este capítulo poderia ser resolvido  com uma visão mais estendida  e mais simples e com menor custo, bastava requer ao executivo uma  área de terra de propriedade do município,  em algum loteamento entre o Bairro Montanha e  Bairro Conventos na extensão da AV. Benjamin Constant.

A construção não demandaria uma enorme quantidade de recursos do erário público, pois  a construção poderia ocupar uma quadra do loteamento, aonde seria possível construir um prédio de dois andares sendo o primeiro para a ocupação de gabinetes e  da secretária, já no segundo piso um auditório para as reuniões das seções legislativas, com um pátio  de estacionamento em frente ao prédio para o publico e uma garagem com apenas a cobertura ao fundo para ser  ocupada pelos funcionários e vereadores.

Alem destes dois  teriam muitos  outros projetos de menor desprendimento, como  exemplo  criação de  uma  Câmara Itinerante que levasse uma vez por mês, uma prestação de contas das atividades em curso.

Em suma, o presidente da Câmara se configuraria  num  presidente diferenciado e  poderá permanecer na função de presidente até dezembro  2015, não podendo ser reeleito para presidente em  2016, mas poderá  ocupar o cargo da  vice presidência e  continuaria  a colocar  em pratica o seu projeto de modernização e independência do legislativo.  No caso da implantação da estrutura própria do legislativo, daria ao atual presidente e aos próximos alem da  experiência de legislador a de administrador público.

Dando ao povo a condição de escolher o próximo executivo já testado e aprovação em administração de órgãos  públicos.

 

Deixe seu comentário