PT: NEM TRABALHADORES NO PARTIDO NEM PARTIDO DOS TRABALHADORES

a lula dinheiro)O singular está em que o PT começou contra a corrupção e na defesa dos trabalhadores, trinta anos atrás. Um núcleo  de intelectuais, inclusive da Igreja, envolveu lideranças proletárias, inclusive a   maior delas, o Lula. Imaginaram aproveitar o potencial humano do metalúrgico e de seus companheiros, repassando a eles conhecimento  e deles recebendo lições práticas de suas necessidades e de sua capacidade de luta e de resistência. Assim formou-se o PT, entusiasmando  a juventude e assustando as elites.

O diabo é que concluímos, hoje, que  o Partido dos Trabalhadores deixou de ter trabalhadores e  cansou  de ser partido. Ao conquistar o poder, transformou-se num aglomerado de burocratas empenhados em afastar-se do proletariado, sem falar nos aproveitadores que se aproximam dos cofres públicos. Com o passar do tempo das lutas, os intelectuais foram saindo  de mansinho, depois da Igreja. 

  Hoje, o ideal dos companheiros é alçar-se à classe média ou chegar  acima dela, de preferência como funcionário público e dirigente de uma empresa estatal.  O próprio Lula aburguesou-se.  Encontram-se nas bancadas do partido  uns poucos ex-sindicalistas, mas nenhum operário eleito nessa condição.

 

 

Deixe seu comentário