MAFIA DO LIXO: EX PREFEITO E DEPUTADO ELEITO EM 2014 INDICIADOS EM AÇÃO CRIMINAL.

FOTO-PROMOTORES-MPR-RS-PROCESSOA Ação Criminal ingressada pelo Ministério Público do Rio Grande do Sul, referente aos serviços de LIXO, tem por réus além da empresa RG AMBIENTAL S/A, mais  cinco empresas do grupo e seus diretores, por parte da Prefeitura Municipal de Rio Grande foram indiciados,, Fábio Branco (ex-prefeito do município gaúcho de Rio Grande, deputado estadual eleito em 2014)pelo  PMDB, e dois assessores. Essa denúncia criminal tramita na Justiça do Rio Grande do Sul sendo resultado da “Operação Polus”, que investigou o pagamento de propina a agentes públicos.

A denúncia criminal do MP-RS foi recebida pelo juiz Ricardo Arteche Hamilton, da 1ª Vara Criminal, do TJ-RS, no início do mês de setembro de 2014, mas manteve-se em sigilo até o término do primeiro turno do último pleito no Rio Grande do Sul, atendendo a um “Mandado de Segurança” impetrado por Fábio Branco, que buscava evitar prejuízos à sua candidatura a deputado estadual pelo PMDB. Sem que os eleitores soubessem dessa denúncia, Fabio Branco acabou sendo eleito deputado estadual no Rio Grande do Sul.

As investigações do Ministério Público gaúcho foram feitas com base em escutas telefônicas, quebras de sigilo fiscal e bancário dos suspeitos e em documentos, mídias eletrônicas, computadores e outros apreendidos nas residências e nas empresas do grupo Solví, nas cidades de Porto Alegre, Novo Hamburgo e Rio Grande.

No âmbito criminal, a presente denúncia do MP-RS trata de imputar aos denunciados os crimes de organização criminosa, corrupção ativa e corrupção passiva.

Deixe seu comentário