CONTRATO EMERGENCIAL NO LIXO APONTA PARA FALTA DE GESTÃO

     Contratos sem licitação pública na área do lixo por prefeitos tem sido uma prática rotineira.

     Esses contratos por dispensa de licitação, ditos emergenciais, acabam sempre beneficiando empresas privadas contratadas pelas prefeituras.

      Não há “padrão de qualidade” durante a operação desses instrumentos públicos.

     Não há como aceitar a realização de contratos de emergência. O que falta sempre é “gestão” no lixo e fiscalização dos serviços de limpeza urbana.

     Quando se vê uma cena de crise do lixo na cidade ela aponta para falta de gestão, ou estou errado?

Deixe seu comentário