Quando os favores acabam, começa a ingratidão

ingratiIngratidão é uma forma de fraqueza. A ingratidão é o mais horrendo de todos os pecados. Ser ingrato tem a ver com o ser humanista.

O ingrato não reconhece que sem ajuda, não chegaria a lugar nenhum. Esquece com muita facilidade as coisas boas que lhe fizeram. Vive no “seu mundo”, busca apenas os seus próprios interesses. As pessoas esquecem que um dia podem precisar de você novamente.

A ingratidão é falta de bom senso, de visão, de sabedoria e de humildade. O ingrato não vê o que os outros vêem e nem sentem o que os outros sentem, não por que não querem ou não desejam, mas por incapacidade, por fraqueza moral. Há na cabeça do ingrato, um vazio ao próximo, que se manifesta não eventualmente, mas permanentemente.

Outra característica da personalidade do ingrato é a desobediência que leva a rebeldia .

Realmente a ingratidão tem um sabor não muito agradável, mas mesmo assim, não devemos permitir que ela abale nossa estrutura e venha a ferir nosso caráter. Afinal, quem tem coragem de fazer o bem, tem que ter a sabedoria de suportar a ingratidão.

.

 

 

Deixe seu comentário