O CIDADÃO DE BEM TEM DIREITO À AUTODEFESA

cliPara início de conversa, gostaria logo de registrar que nunca comprei nem possuí arma de fogo. Não tenho nenhuma intimidade com armamentos e talvez continue sem querer ter.

Mas querer ou não querer ter ou portar uma arma de fogo para se defender deve ser uma decisão pessoal, que atenda a pré-requisitos objetivos e definidos em lei (idade mínima, ausência de antecedente criminal, habilitação técnica e adequado perfil psicológico).

Em referendo feito em 2005, a sociedade brasileira disse: “Sim, desejamos comprar armas legalmente”, mas esse direito incontestável à autodefesa, expresso com clareza e legitimado em ampla consulta aos brasileiros, foi usurpado.

Chegou o momento de fazermos valer a vontade da sociedade e revogarmos os estatutos do Desarmamento (Lei 10826/2003) e do Controle de Armas de Fogo (PL 3722/12), que em nada contribuíram para diminuir a criminalidade e os índices de homicídios dolosos no Brasil. Ao contrário, prestaram um grande serviço ao crime organizado.

Deixe seu comentário