Archive for Setembro, 2015

Nasa informa que Marte tem água líquida em sua superfície.

Terça-feira, Setembro 29th, 2015

marte nasaA Nasa anunciou nesta segunda-feira que encontrou as “provas mais sólidas” até o momento da existência de água líquida em Marte. De acordo com a agência espacial americana, imagens da sonda Mars Reconaissance Orbiter (MRO), em órbita no planeta vermelho localizaram veios de cerca de cem metros de comprimento e cinco metros de largura que, segundo a hipótese dos cientistas, abriga água corrente. Além de estar na forma líquida, a água tem grandes possibilidades de ser salgada, pois já foram encontradas marcas de sais hidratados em algumas das crateras do planeta. Água na forma líquida e salgada seriam algumas das condições mais propícias ao surgimento e desenvolvimento de vida. De acordo com a Nasa, há “evidência espectral” de que as linhas em quatro lugares diferentes da superfície de Marte “confirmam a hipótese” que existe por conta da “atividade atual de água salobra”, segundo os pesquisadores de um estudo que será apresentado nesta semana no Congresso de Ciência Planetária Europeu, realizado em Nantes (França).

PDT formaliza pedido para afastamento do secretário da Segurança e indicará Enio Bacci.

Terça-feira, Setembro 29th, 2015

ex secr iedaO PDT confirmou que formalizará pedido de substituição do secretário da Segurança, Wantuir Jacini.

O Partido indicará o deputado Ênio Bacci para a secretária da segurança.

 

(Bacci ex secretário do Governo Yeda Crusius)

O lajeasende já foi secretário da  segurança , ele tem  pulso firme.

A  segurança pública está a deriva.
E não há esperança de melhora com atual conjuntura.

 

(  Bacci ex secretario do Governo Yeda Crusius)

Secretário da Segurança de Sartori manda a população prender os bandidos.

Terça-feira, Setembro 29th, 2015

Wantuir Jacini.O secretário da Segurança Pública do estado do Rio Grande do Sul, Wantuir Jacini, que diante da inércia do governo estadual avisou, lavou as mãos:

“A população pode prender os bandidos que cometem delito”

 

(Wantuir Jacini)

Deputado Cherini indica Enio Bacci para Secretário de Segurança do estado..

Terça-feira, Setembro 29th, 2015

enio bacO deputado federal Giovani Cherini disse  que o atual  secretário da Segurança, Wantuir Jacini não tem mais a confiança dos gaúchos e deve ir embora.

Na opinião do deputado, o cargo deve ir para o deputado Enio Bacci, que já foi secretário e nos poucos meses em que ocupou o cargo inspirou a população com suas ações diretas.
O atual secretário de segurança  Jacini,  queixou-se das  críticas do prefeito José Fortunati,que viu sua cidade transformada num faroeste nesta sexta-feira, com tiroteios, assassinatos, queima de ônibus e toque de recolher em algumas regiões da zona Sul da cidade, com ênfase para a populosa Vila Cruzeiro, algo jamais visto na Capital.

Depois da CPMF, Dilma quer a criação do imposto das heranças.

Terça-feira, Setembro 29th, 2015

herança

A criação do imposto federal sobre herança é “fato consumado” no governo Dilma, ele cria receita imediata para municípios, estados e União e não será necessário defendê-lo, como no caso da CPMF.

 

Promotor dos Estados Unidos virá ao Brasil, na Buscar de provas para processar os Ladrões da Pebrobrás Lava Jato.

Terça-feira, Setembro 29th, 2015

justiça americanaUm representante do Departamento de Justiça dos Estados Unidos virá a Curitiba (PR) em outubro para negociar acordos com delatores da Operação Lava Jato com o objetivo de conseguir provas para processar empresas que têm negócios naquele país e pagaram propina no Brasil ou em outro território para fechar contratos com a Petrobras. Delatores brasileiros podem ser processados também nos Estados Unidos se utilizaram empresas ou bancos naquele país para lavar dinheiro de corrupção. Um acordo de delação com os americanos serviria para reduzir uma eventual pena. O procurador Patrick Stokes chefia a unidade que cuida de uma lei norte-americana que pune empresas que pagam suborno fora do território norte-americano, a FCPA (Foreign Corrupt Pratices Act ou Lei sobre Práticas de Corrupção no Exterior). Empresas brasileiras que têm negócios nos Estados Unidos, como a própria Petrobras, ou companhias americanas que trabalham para a estatal, podem ser punidas se as autoridades do país concluírem que a corporação pagou suborno no Brasil ou na Suíça para fechar negócios. A ideia por trás dessa lei é que o suborno mina a concorrência leal entre as empresas. A Petrobras é alvo de uma ação do Departamento de Justiça americano sob suspeita de ter violado a lei sobre corrupção no exterior. A estatal também sofre um processo por parte de investidores que se sentiram enganados pela queda no preço das ações por causa das revelações sobre suborno. O procurador americano ficará em Curitiba entre 6 e 9 de outubro para relatar que tipo de vantagens ofereceria aos delatores que aceitarem colaborar com a Justiça dos Estados Unidos. Advogados dos colaboradores foram convocados pelos procuradores da Operação Lava Jato para ouvir as propostas do procurador. Uma das ofertas previstas na lei americana é chamada “non-prosecution agreement”, um acordo no qual os procuradores nem fazem a acusação formal em troca de informações novas. A lei americana ficou conhecida internacionalmente pelas multas milionárias que aplica contra empresas que violam a norma. A Siemens e Alstom encabeçam o ranking dos valores mais altos já pagos. Elas receberam multas de US$ 800 milhões e US$ 772 milhões, respectivamente, para pôr fim ao processos em que eram investigadas.

 

Através dos microfones da Rádio Independente, Schmidt tenta explicar o episódio da nota fiscal com serviços não realizados.

Terça-feira, Setembro 29th, 2015

CUIDado obrASO prefeito de Lajeado Schmidt do PT, na quinta feira  pronuncio se  a respeito do episódio dos serviços não realizados constantes em uma nota fiscal de pavimentação de ruas do financiamento do PAC.

Por voltas das 9:00 horas no programa do radialista Fabiano na  rádio Independente, o prefeito citou varias vez  o  Tribunal de Conta do Estado, segundo o prefeito o   TCE não viu nada demais nas planinhas orçamentárias, e que os serviços não realizados serão compensados no fim do contrato com metragens a mais de pavimentação. Eu tenho a certeza que foi esta a determinação do TCE, mas o prefeito tentou se desfazer desta enrasca, dando uma outra conotação as reuniões em que tentaram convencer  integrantes do governo  a encaminhar   liberação de   nota fiscal para pagamento contendo valores de serviços não realizados.

A conotação  de um determinado  assunto, depende de quem as descreve, vejamos;

Um cidadão puxa um revolver, e mata um cachorro que atacava uma criança Americana.

Um repórter Americano pede seu nome, segundo o jornalista, o episódio vai virar assunto na primeira  pagina do seu jornal, com a  manchete “ um herói  Nova – Iorquino  mata cachorro que estava atacando  uma criança”.

O cidadão diz ao repórter não ser Nova-Iorquino

O repórter responde não tem problema vou colocar na manchete “herói Americano mata cachorro que estava atacando uma criança”

O Cidadão respondeu não ser cidadão  Americano e sim Árabe.

O repórter não falou mais nada e foi embora.

No outro dia estava estampado na capa do jornal “Terrorista Árabe mata cachorro de raça na frente de uma criança Americana”

Voltando ao caso do edital de pavimentação do asfalto, vejamos;

O edital de licitação dos serviços de pavimentação teve seu orçamento alterado por 4 vezes, sendo três através de suspensão da abertura do edital.

No primeiro projeto as planilhas de orçamento foram realizadas pelos engenheiros da secretaria de planejamento de Lajeado, isto na época da prefeita Carmem.

O prefeito Schmidt e o seu secretário de governo, colocaram o primeiro projeto no “lixo” e  contratam sem licitação uma empresa da cidade de Estrela pelo valor de R$ 150 mil,  para realizar um novo projeto de orçamento, aonde os preços foram majorados e os quantitativos foram super dimensionados.

Já em fase de licitação o edital foi publicado três vez e suspensos, porque  havia disputa  entre as empresas, com isto o  preço da obra ficaria  abaixo da planilha de  orçamento do  município  anexada ao edital de  licitação.

Na quarta publicação do edital de licitação, foi formado um consórcio das empreiteiras, desta vez não houve anulação do edital, e o preço ficou acima do valor orçado pelo município no edital.

A empreiteira deu inicio aos serviços e emitiu uma nota fiscal com o valor de R$ 300 mil, a nota foi devolvida pelo secretário de obras, para correção.

A empresa emitiu  uma nova nota fiscal com o valor corrigido de R$ 250 retirando os valores do serviços não realizado.

Após realizar uma segunda etapa  da pavimentação, foi  emitida uma nova nota fiscal contra o município de Lajeado, no valor  de R$ 1 milhão, novamente o secretário de obras devolveu a nota fiscal para a empreiteira, com a intenção  de que a empreiteira  retirasse os valores contidos na nota fiscal que não chegaram a ser realizados.

A empreiteira não gostou da atitude do secretário de obras e paralisou as obras.

O prefeito convocou uma reunião no seu gabinete com o dono da empreiteira, secretário de Obras, engenheiro e com o fiscal da obras, a reunião tinha objetivo de convencer o secretário, engenheiro e fiscal a assinarem a liberação da nota para pagamento contendo  valores de serviços não realizados.

Uma segunda reunião foi realizada na seda da Caixa Federal em Novo Hamburgo, com três funcionários da Caixa, o prefeito, secretário de obras e o empresário, com o mesmo objetivo da reunião anterior, a liberação do pagamento da Nota Fiscal.

Mas os argumentos das duas reuniões não convenceram o secretário de obras, que se negou a assinar a nota fiscal e acabou dando entrevista  nos meio de comunicações expondo  a ilicitude que estava sendo  armada.

O caso repercutiu, o prefeito se calou por uma semana e nesta quinta feira resolveu dar as explicações , no horário das 9:00 horas no programada do radialista Fabiano do Grupo Independente ,  programa este que poderia  ter um nova denominação, Hora das   Explicações do Prefeito Schmidt.

No programa o prefeito citou que os serviços não realizados serão compensados no fim do contrato com mais ruas asfaltadas, o financiamento é de R$ 20 milhões, o certo  e a lógica seriam, se estiver  sobrando dinheiro,  se realiza mais obras de pavimentação com o saldo.

Mais uma coisa é clara,  se o secretário de obras Adi Cerutti não tivesse se negado a assinar a nota fiscal, a historia seria outra, não haveria sobra para realizar mais pavimentações e os moradores das ruas, pagariam  valores superfaturados.

O prefeito também citou, que é a prefeitura quem vai pagar o financiamento do PAC junto a Caixa Federal, isto é a lógica, para ser mais  preciso o financiamento  será pago até o ano de 2035,   com os impostos de toda a população de Lajeado.

O que o Sr prefeito precisa explicar, é porque insistiu tanto com seus subordinados para  assinarem a liberação de uma nota fiscal contendo serviços que não foram executados.

O pior de tudo, é como explicar porque a mesma empresa que realiza a obra do PAC com valor por metro na casa dos R$ 200,00, já na obra financiada  pelo  BADESUL a mesma empreiteira  esta realizando a  por R$ 115,00 o metro, o que é  ainda pior, a colocação dos canos pluvial de 40 cm no PAC custa R$ 180,00 por metro,  já no financiamento do BADESUL a mesma empreiteira esta realizando a colocação dos canos de 40 cm por R$ 90,00 o metro.

Você deve ter ficado confuso como os detalhes desta polêmica,  mas eu explico:

Na obra do PAC foi lançado o edital de licitação quatro vezes, até a formação de um consórcio e por consequência sem disputa de preço na citação, passando  o valor  para as altura.  Já no caso do financiamento do BADESUL além da empresas do consórcio houve  a presença na licitação da empresa PAP de Lajeado, empresa que pertence ao grupo IMOJEL, e com a participação dela, houve  concorrência  de preço e o valor  cai de R$ 200 para R$ 115,00 o metro.

Esta faltando Gasolina para abastecer os veículos da prefeitura de Lajeado.

Sábado, Setembro 26th, 2015

combusativelNesta sexta feira os veículos do município de Lajeado que necessitaram do abastecimento de  combustível para  trabalhar, não encontram gasolina disponível nas bombas do posto de combustível do município. A falta de pagamento foi o  motivo do  não  fornecimento pela distribuidora.

 

Jornal folha de São Borja publicou no dia 24/09/2015 que o prefeito de Lajeado recebe R$ 39.866,61 e o vice – prefeito R$ 18.154,38, vejamos:

Sábado, Setembro 26th, 2015

São Borja,RS 21°C  24/09/2015

Governador do Estado tem salário mais baixo que dezenas de prefeitos gaúcho

folha são

Foto: Reprodução

A reação da população gaúcha perante a sanção do governador Ivo Sartori para o aumento nos salários dos deputados, secretários, governador e vice-governador foi imediata. A razão do espanto é a notoriedade da crise instalada no Estado, que resultaram em várias medidas do novo governo cortando gastos e reduzindo o tamanho da máquina administrativa. Estimativa da nova gestão é que o Estado vai ter que conviver e combater um déficit que se aproxima dos R$ 7 bilhões. Até o governador abriu mão de seu aumento de salário, embora seja um gesto apenas simbólico, já que a renúncia terá peso próximo de zero nas finanças do Estado.

Com o aumento, o salário do governador passaria de R$ 17.347,14 para R$ 25.322,25. Recebendo o mesmo salário, o governador vai ganhar menos que dezenas de prefeituras do interior do Estado. No interior do RS a diferença do valor de um salário de cidade para outra chega a ser de 800% e o número de habitantes não é necessariamente parâmetro para tanta diferença. Porto Alegre, por exemplo, capital e maior população do Estado, com aproximadamente 1,5 milhão de habitantes, perde para várias cidades menores, pagando para seu prefeito R$ 16.477,10.

O salário mais baixo das cidades pesquisadas foi a de Gentil, com o salário do prefeito de R$ 4.939,17, e da região das Missões, o valor mais baixo foi a de Entre-Ijuís, que é de R$ 6.830,54. A remuneração mais alta é da prefeitura de Lajeado, com o valor de R$ 39.866,61 para o prefeito e R$ 18.154,38 para o vice, valores bem acima do que outras prefeituras, vindo a seguir Gramado, com um salário de R$ 22.183,17 para o prefeito, e seu vice, curiosamente, tem um dos valores mais baixos entre todos desse cargo: que é de R$ 5.545,76. Caxias do Sul tem também um dos salários mais altos do Estado, no valor de 21.529,01, ao lado de Santa Maria, com R$ 21.226,84.

Na região da Fronteira e Missões, o valor mais alto fica com a prefeitura de São Borja que paga R$ 19.154,22 para o prefeito e R$ 14.078,03 para o vice.
Em Santa Cruz do Sul, o prefeito abriu mão do seu salário porque é aposentado pela Câmara dos Deputados.

Sobre a remuneração dos prefeitos, a Constituição Federal apenas institui o teto máximo na remuneração, que não pode ultrapassar os vencimentos dos Ministros do Supremo Federal, que é no valor de aproximadamente R$ 42.000,00.

SÃO BORJA

O aumento dos salários dos prefeitos de São Borja é definido pela Câmara de Vereadores e vigora pelos 4 anos da administração que foi eleita. O prefeito pode propor todos os anos a reposição salarial de acordo com os índices inflacionários oficiais. Ou seja, não poderá haver aumento acima da inflação durante os 4 anos dessa administração. A reposição da inflação proposta pelo prefeito vale para todos os servidores públicos e é instituído através de decreto pelo executivo e encaminhado à Câmara para aprovação. O próximo aumento será no final de 2016 e passará a valer para a próxima legislatura, ou seja, para o próximo prefeito eleito.

Segundo o artigo 59 da Lei Orgânica de São Borja, “o Prefeito receberá subsídios e representação fixados pela Câmara Municipal de Vereadores, no último ano da legislatura anterior, antes da eleição, para vigorar por toda a legislatura seguinte, podendo ser fixados em valores diferenciados para cada ano de mandato. Nas mesmas oportunidades e obedecidos os mesmos critérios, serão fixados subsídios e representação ao vice-prefeito”. De acordo com o primeiro parágrafo do mesmo artigo, “a verba de representação do Prefeito e do Vice-Prefeito não poderão exceder a cinqüenta por cento (50%) do valor dos subsídios ou da remuneração que lhes forem fixadas”. E de acordo com o segundo parágrafo, “se a Câmara Municipal de Vereadores não fixar remuneração do Prefeito e do Vice-Prefeito nos termos do artigo, serão reajustados os valores da remuneração com base no coeficiente de correção monetária estabelecido pelo governo federal, correspondente ao período transcorrido após o último reajuste”.

Jornal folha de São Borja publicou no dia 24/09/2015 que o prefeito de Lajeado recebe R$ 39.866,61 e o vice – prefeito R$ 18.154,38, vejamos:

Sábado, Setembro 26th, 2015

 

São Borja,RS 21°C  24/09/2015

 folha são

Governador do Estado tem salário mais baixo que dezenas de prefeitos gaúchos

 

Foto: Reprodução

A reação da população gaúcha perante a sanção do governador Ivo Sartori para o aumento nos salários dos deputados, secretários, governador e vice-governador foi imediata. A razão do espanto é a notoriedade da crise instalada no Estado, que resultaram em várias medidas do novo governo cortando gastos e reduzindo o tamanho da máquina administrativa. Estimativa da nova gestão é que o Estado vai ter que conviver e combater um déficit que se aproxima dos R$ 7 bilhões. Até o governador abriu mão de seu aumento de salário, embora seja um gesto apenas simbólico, já que a renúncia terá peso próximo de zero nas finanças do Estado.

Com o aumento, o salário do governador passaria de R$ 17.347,14 para R$ 25.322,25. Recebendo o mesmo salário, o governador vai ganhar menos que dezenas de prefeituras do interior do Estado. No interior do RS a diferença do valor de um salário de cidade para outra chega a ser de 800% e o número de habitantes não é necessariamente parâmetro para tanta diferença. Porto Alegre, por exemplo, capital e maior população do Estado, com aproximadamente 1,5 milhão de habitantes, perde para várias cidades menores, pagando para seu prefeito R$ 16.477,10.

O salário mais baixo das cidades pesquisadas foi a de Gentil, com o salário do prefeito de R$ 4.939,17, e da região das Missões, o valor mais baixo foi a de Entre-Ijuís, que é de R$ 6.830,54. A remuneração mais alta é da prefeitura de Lajeado, com o valor de R$ 39.866,61 para o prefeito e R$ 18.154,38 para o vice, valores bem acima do que outras prefeituras, vindo a seguir Gramado, com um salário de R$ 22.183,17 para o prefeito, e seu vice, curiosamente, tem um dos valores mais baixos entre todos desse cargo: que é de R$ 5.545,76. Caxias do Sul tem também um dos salários mais altos do Estado, no valor de 21.529,01, ao lado de Santa Maria, com R$ 21.226,84.

Na região da Fronteira e Missões, o valor mais alto fica com a prefeitura de São Borja que paga R$ 19.154,22 para o prefeito e R$ 14.078,03 para o vice.
Em Santa Cruz do Sul, o prefeito abriu mão do seu salário porque é aposentado pela Câmara dos Deputados.

Sobre a remuneração dos prefeitos, a Constituição Federal apenas institui o teto máximo na remuneração, que não pode ultrapassar os vencimentos dos Ministros do Supremo Federal, que é no valor de aproximadamente R$ 42.000,00.

SÃO BORJA

O aumento dos salários dos prefeitos de São Borja é definido pela Câmara de Vereadores e vigora pelos 4 anos da administração que foi eleita. O prefeito pode propor todos os anos a reposição salarial de acordo com os índices inflacionários oficiais. Ou seja, não poderá haver aumento acima da inflação durante os 4 anos dessa administração. A reposição da inflação proposta pelo prefeito vale para todos os servidores públicos e é instituído através de decreto pelo executivo e encaminhado à Câmara para aprovação. O próximo aumento será no final de 2016 e passará a valer para a próxima legislatura, ou seja, para o próximo prefeito eleito.

Segundo o artigo 59 da Lei Orgânica de São Borja, “o Prefeito receberá subsídios e representação fixados pela Câmara Municipal de Vereadores, no último ano da legislatura anterior, antes da eleição, para vigorar por toda a legislatura seguinte, podendo ser fixados em valores diferenciados para cada ano de mandato. Nas mesmas oportunidades e obedecidos os mesmos critérios, serão fixados subsídios e representação ao vice-prefeito”. De acordo com o primeiro parágrafo do mesmo artigo, “a verba de representação do Prefeito e do Vice-Prefeito não poderão exceder a cinqüenta por cento (50%) do valor dos subsídios ou da remuneração que lhes forem fixadas”. E de acordo com o segundo parágrafo, “se a Câmara Municipal de Vereadores não fixar remuneração do Prefeito e do Vice-Prefeito nos termos do artigo, serão reajustados os valores da remuneração com base no coeficiente de correção monetária estabelecido pelo governo federal, correspondente ao período transcorrido após o último reajuste”.

24/09/2015